25.6.05

Robert Reid Kalley (Infância e Juventude(1809a 1838)

No dia 5 de dezembro viajou para Paisley, onde pediu a mão de Margarida em casamento. Era a jovem que havia conhecido em 1833. Sobre ela e seu pretendido enlace havia conversado com o secretário da Sociedade. Seria conveniente que ela ficasse por algum tempo em alguma instituição de ensino bíblico e missionário enquanto ele completava seus cursos adicionais no Hospital e na Universidade. A respeito de Margarida, o Doutor escreve:
Ela desejava ardentemente entrar para o serviço de Cristo, ou ensinando ou em qualquer outra atividade em que seus talentos pudessem ser aproveitados. Consente no casamento e sua mãe também.
É uma jovem bem capacitada para o trabalho missionário. Possui fina educação. Tem servido como secretária do pai em seus negócios.
Dotada de gênio muito alegre, é consagrada e tem visão da obra de Missões.
Quanto ao físico, não é muito robusta e não seria capaz, creio eu, de enfrentar as durezas de alguns campos missionários. Foi criada com muito conforto. Espero, porém, que, embora delicada, sua estrutura seja perfeitamente sã e se dê bem em clima suava.
Seus poderes intelectuais a capacitam para os trabalhos de tradução ou qualquer atividade que se relacione com o redigir ou escrever, como também com o ensino, direção de escolas etc
.
O consultório de Kilmarnock, assim com seus clientes, ficaram, após a venda, aos cuidados de um jovem médico, seu amigo, que mais tarde se tornaria também seu cunhado, pois veio a casar-se com Jane Kalley.
A 9 de janeiro de 1838 foi convidado para fazer uma palestra numa das reuniões da Sociedade Missionária da Escócia, onde falou sobre a China e a urgente necessidade da pregação do evangelho no Extremo Oriente da Ásia. Essa palestra constitui-se na chamada divina para um dos seus ouvintes, que resolveu oferecer-se ao Senhor para o trabalho missionário naquele país. Foi o renomado missionário William Chalmers Burns, que realizou uma obra de incalculável valor na abertura de preciosas portas de penetração do evangelho naquele território. É interessante saber que a vida do Dr. Burns, sua grande piedade cristã e a sua amizade muito ajudaram Hudson Taylor em seu abençoado ministério. Taylor, por sua vez, se tornaria grande amigo, mais tarde, de Kalley e de D. Sarah, sua segunda esposa, fazendo o sermão de despedida no dia do enterro do Doutor, em 24 de janeiro de 1888, e estando entre os fundadores, ao lado de D. Sarah, Rev. James Fanstone, Dr. João Gomes da Rocha e mais oito companheiros, de Help for Brazil Mission, que sob inspiração de D. Sarah e do Rev. Fanstone se organizou em Edimburgo, em 1892.
Em uma reunião de despedida a seus amigos e clientes, solicitou encarecidamente suas orações, tanto na Igreja como nos lares, por ele e pela China. Mal supunha, porém, que os desígnios de Deus, que chama seus obreiros e lhes designa os campos, não o levariam para a China, conforme seus projetos pessoais.
Miss Margarida, de seu lado, preparava-se também para os deveres de esposa e auxiliar do missionário. Ela mesma sentia o apelo das Missões. O ministro da Igreja Escocesa, pastor de sua igreja em Paisley, escreveu a seu respeito:
Fora batizada por mim e criada na minha congregação. Assistiu às classes bíblicas para instrução da juventude por vários anos. Assim estava bem versada no conhecimento das Escrituras. É profundamente evangélica e possuidora de uma alma piedosa. Seu coração está fixo na obra missionária, para a qual a considero bem capacitada.
Nessa preparação para a obra ao lado do Doutor, mudou-se para Glasgow, onde pretendia tirar alguns cursos. Hospedou-se em casa de amigos. Era no mês de janeiro, tempo de frio muito intenso naquela região. Uma noite, alguém, por descuido, deixou aberta uma janela. O resultado foi Miss Margarida contrair uma forte pneumonia, que, por sua vez, revelou algo de mais grave: princípio de tuberculose.
Sentindo a gravidade do estado de saúde da noiva e que, por isso não seria aprovada pela Sociedade para o trabalho missionário, o que fatalmente acarretaria o cancelamento de sua própria indicação, o Doutor Kalley procurou imediatamente entrar em contacto com os diretores da Sociedade em Londres. Desobrigou-se de seus compromisso para com ela, propondo-se a indenizá-la de todas as despesas que ela houvesse tido com sua inscrição e com os estudos preparatórios na Universidade. A Sociedade, em 30 de janeiro, em vista dos fatos cancelou seu contrato com ele, admitindo que, "se em qualquer tempo ele sentisse ser de seu dever entregar-se à obra missionária em conexão com ela, seria dispensada a melhor atenção a qualquer pedido que ele julgasse próprio fazer".
No dia 2 de fevereiro foi celebrado o casamento de Roberto e Margarida em Paisley, na residência da genitora da noiva.O Doutor continuou, com recursos próprios, os estudos de Teologia e Medicina necessários no ministério missionário, pois tinha ainda no seu coração os caminhos do Oriente. Na turma de sua formatura, em 1º de maio de 1838, aparece também o nome de William Chalmers Burns, que conquistara a medalha de prata por sua aplicação.
Durante o verão daquele ano, em junho, julho e agosto, ficou evidente que a Srª. Kalley não suportaria os rigores do inverno que se vinha aproximando. Não somente ela, mas também uma de suas irmãs, Annie, precisavam transportar-se para uma região de clima mais ameno.
Lembrando-se da Ilha da Madeira, onde estivera alguns anos antes, e do clima salubérrimo que oferecia, o Doutor resolveu, de acordo com Margarida, que ali residiriam por algum tempo até que estivessem em condições de se transferirem para Cantão. A Srª. Crawford sentiu necessidade de acompanhar as filhas, e a outra filha menor, Elisabeth, também se juntou ao grupo. Tomaram passagem no navio Jane, barco a vela, veloz, de 356 toneladas, que zarpou de Greenock no dia 27 de setembro. A viagem transcorreu sem nenhum contra-tempo. Alguns passageiros assistiam aos cultos matutinos e vespertinos dirigidos pelo Doutor, que não encontrou, embora procurasse nenhum interesse da tripulação em ouvi-lo falar de assuntos religiosos.
No dia 11 de outubro atingiram a ilha. Não sendo possível o desembarque naquele dia, o navio ancorou ao largo e só no dia 12 fundeou na baía de Funchal. A tardinha, o Doutor e a família puderam desembarcar. Por pouco tempo, julgava ele, mas Deus o reteve ali por oito anos, num ministério pioneiro e difícil, a que o Dr. A. Bonar, a ele referindo-se na Assembléia Geral da Igreja Livre da Escócia, chamou de " o maior acontecimento das missões modernas".

Um comentário:

Ezequias disse...

De férias aqui no sul do país, Passo Fundo... estou a ler o lançamento da editora fiel... "jornada no império", a mais recente biografia do Dr. Kalley. E, em pesquisas na internet encontrei o seu blog.

É um prazer trocar palavras com você. Deixe-me apresentar. Sou pastor batista em Angra dos Reis, e convivemos um tempo juntos aqui naquela cidade.

Hoje estamos mais unidos ainda enquanto reformados, porque organizamos a Missão Angrense Reformada com total apoio de pastores e líderes batistas, congregacionais e presbiterianos. Nosso seminário também vem crescendo e as expectativas para 2007 são as melhores possíveis.

Gostaria de convidá-lo a conhecer a nossa Missão. E a melhor oportunidade será no dia 10 de março deste quando comemoramos os 450 anos do primeiro culto evangélico realizado no Brasil e nas Américas no templo da Igreja Evangelica Congregacional do centro da cidade durante a tarde e noite, celebrando a Deus ouvindo duas mensagens do Rev. Antonio Carlos da Costa, da IPB em Barra da Tijuca em nossa primeira conferência teológica.

Fica registrado o convite e ao mesmo tempo os votos de que Deus persista em usá-lo para à sua Obra.

Para entrar em contato comigo: amanciomarins@oi.com.br; telefones (24) 33775560 ou 98134716, ou o MSN ezequiasmarins@hotmail.com

Um abração.

Ezequias

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...